quarta-feira, julho 30, 2008

Um sentimento telúrico

Hoje foi um dia de despedidas, em que tive a sensação de nó na garganta e lágrima ao canto do olho...


O dia começou com a despedida da Consuelo, uma amiga Espanhola que veio ao laboratório ensinar uma técnica. Ficou por cá 1 mês onde muito me ajudou em pequenas importantes coisas e sobretudo para o futuro. Enraizei-me...


A meio do dia recebi um mail da Lúcia, que com muita saudade se despedia, por ir de férias para Moçambique. Enraizei-me...


O dia terminou com a minha última aula de pintura. O atlier vai fechar por causa da tal "crise". Vão-me fazer falta as quartas-feiras à noite em frente às minhas telas, nas quais construía as minhas estórias e me desligava do mundo real. Enraizei-me...
Mostro-vos as "obras".
o meu primeiro....

o segundo...

pendant....

silent thought...


Ontem estive com o João, há 1 ano que não o via, andámos a passear pelas ruelas de Lisboa tal como fazíamos nos tempos da fcul. Quando lhe perguntei se tinha saudades da cidade, ele respondeu que tinha mais saudades das pessoas. Tem razão. Os lugares têm mais significado quando associados à nossas vivências, talvez seja por isso que acho que Lisboa é a cidade mais bonita em que já estive. Enraizei-me...

2 comentários:

pipeta disse...

já conhecia algumas das tuas obras mas as outras também são bónitas. Também tenho lagrima no canto do olho qdo me contas isso

EarthsWizard disse...

Concordo, os locais não são nada sem as pessoas. Lisboa conquistou-me, voces conquistaram-me :)